12 maio 2006

O futuro

É um fim de tarde de Maio. O céu muito azul. E, de súbito, uma nuvem lilás parece poisar nos telhados das casas, nos pátios, nas varandas. As mães saem à rua: suspensas, interditas. E olham o futuro como se os seus filhos já tivessem um outro nome, estivessem longe e precisassem de ajuda para respirar.