10 maio 2006

Começar

começar
primeiro uma pedra
primeiro um barco
primeiro o teu nome repetido entre pedra e barco
entre metáfora e nuvem
entre luz e desalento
entre proximidade e vertigem
e só depois as mãos quase esquecidas de chegar o Verão
quase esquecidas de nenhuma palavra desencadear os incêndios
quase esquecidas de repetir a tempestade nos muros de tijolo
quase esquecidas de respirar
quase esquecidas
de ser o Verão
começar
primeiro uma pedra
primeiro um barco
primeiro o teu nome